Sábado, 27 de Junho de 2009

JOSÉ LIMA DE ANDRADE

 

Cheiro de Almeirim
 
Pela Janela entra a uva
Pelo Portão sai o vinho
Tanto trabalho…tanto carinho
Fermenta o mosto já na cuba
 
 
O vinho é aqui, o nosso pão
O meu, é de todos o melhor.
Feito de trabalho e dedicação
Nenhum outro tem tanto sabor
O meu vinho é um caso à parte
 É toda a minha arte…
A minha grande criação
 
À janela param os carros de bois
Com celhas de uva dourada.
Saiem do portão os aranhóis
Correm os cavalos pela calçada
 
Quantas adegas…quantas Caldeiras?
De Fazendeiros ou de Lavradores
Quantos ranchos de namoradeiras
Tantos bailes e adiafas de alegria
Quantos Rapazes perdidos de amores.
Quanta saudade, para quem partia
 
Coisas que já não se vivem agora
Privilégio dos que aqui viveram
E daquelas que por esse mundo fora
Nesse tempo aqui estiveram
 
Havia um cheiro diferente
Que embebedou muita gente
Cheiro que guardo na memória,
Pois nunca houve cheiro assim.
Não há já aranhois, nem aguardente
Era o cheiro dos tempos de glória
Cheiro que já não se sente
Que saudade…do cheiro de Almeirim
 
 
José J. Lima Monteiro Andrade
19 de Outubro 2008
tags: , ,
publicado por João Chamiço às 18:16
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. JOÃO SILVESTRE

. ROSILDO OLIVEIRA

. FERNANDO NEVES DIAS

. NÃO MORRO, PRA NÃO MORRER...

. MOVIMENTO - ROSILDO OLIVE...

. JOSÉ LIMA DE ANDRADE

. FALECEU MATIAS VERÍSSIMO

. CANÇÃO DO VENTO

. PALÁCIO DE...

. ...

.arquivos

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Junho 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

.tags

. todas as tags

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds