Terça-feira, 9 de Setembro de 2008

PALÁCIO DE SAL (Maria João B. Sousa)

                             

 

Ó meu palácio líquido e imenso

De torreões de espuma imaculada,

Todo bordado em renda recortada

Sobre esse fundo de um azul intenso...

 

São muralhas instáveis que condenso

Nesta imagem recorrente e inspirada

Que surge deste olhar-te e estar calada

Na profunda atenção que te dispenso...

 

Morada de sereias e tritões!

Estranha fauna deste imaginário

Eterno e colectivo ou irreal

 

Que habita para além desses portões

Que invento para ti, ó meu sacrário

Feito de sonhos e água com sal...

 

(Imagem retirada da Internet)

 

NOTA - Este é o segundo soneto com que concorri aos Jogos Florais.

                                                Maria João B. Sousa

 

           Clique no link em baixo para ver o blog da autora

             http://poetaporkedeusker.blogs.sapo.pt/73290.html

sinto-me: Neptuno
música: Óh Mar Salgado
publicado por João Chamiço às 23:01
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito

.mais sobre mim

.Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. PALÁCIO DE...

.arquivos

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Junho 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

.tags

. todas as tags

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds